Páginas

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Porque eu estou amando a Pós-graduação?



Estou amando minha pós-graduação!
Estou amando que, quem está lá, de fato, quer estar lá! Já passaram pela fase de confusão da graduação.São pessoas maduras e não falo da idade, mas de mentalidade!
Estou amando porque lá eu não sou julgada, vista como estranha, aparecida. Não ouço risadinhas nas minhas costas e não ouço comentários que me fazem chorar. Porque lá é muito mais do que um monte de senhoras que pintavam pano de prato e acharam que isso fazia delas artista! Muito mais do que gente que cantava na igreja (nada contra!) e pensou que um curso de Artes lhes ensinaria coisas bonitas, rejeitando e apontando tudo o que era diferente. Muito pelo contrário! As mulheres do meu curso exalam sabedoria, são piradas como eu! São tarólogas, astrólogas,psicólogas, mães, donas de si.
Estou amando meu curso porque lá posso falar abertamente sobre meu amor por simbologia Sepulcral, sobre meu desejo de cursar Tanatologia sem ouvir “você nem parece serva de Deus” por isso.
Lá posso discursar, falar sobre o que acredito, falar sobre minhas teorias, ser de fato, quem sou, sem ferir o complexo inferioridade de ninguém com isso, sem ser tida como exibida e sabichona, pois lá temos os mesmo interesses.
Amo ,pois posso me soltar, dar a louca, sair dançando, cantando, criando, chorando e ao fim, ser abraçada e acolhida, não ser um motivo de piada para mentes medíocres.
Estou amando meu curso de Arteterapia. Da graduação, levo meus grandes mestres (todos me acrescentaram!) e meus grandes amigos. O resto, será apenas o resto na minha memória.

9 comentários:

  1. Adorei, Dayane... estou passando pelos últimos momentos tensos da graduação e espero um dia também encontrar uma turma, de pós ou outro curso, na qual eu me identifique e tenha essa experiência rica de diversidade e respeito.
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. Que bom, Day :)
    Sei como é necessário esse "espaço" para se soltar, se sentir à vontade, etc. Deus abençoe e permita que você continue crescendo no que está fazendo

    ResponderExcluir
  3. eu andei vendo seus desenhos, você tem muito talento ^^ legal ver sua percepção de pespectiva e anatomia, tem uma tecnica viva, passa muita emoção parabens

    ResponderExcluir
  4. Eu também gostava de desenhar Day, logico que esta há anos luz da qualidade artistica que os seus, mas era uma epoca que eu tinha muitos sonhos, eu queria me profissionalizar ( nunca perca isso menininha alada) bom ai eu fui para o exercito,e depois a escolta armada, troquei o lapís pelo gatilho rsrsrs....aonde será que os sonhos vão para morrer ??

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=216920468409570&set=a.216920361742914.35678.100002748547421&type=3&theater


    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=215977161837234&set=a.215977081837242.35383.100002748547421&type=3&theater


    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=215964178505199&set=a.215964135171870.35376.100002748547421&type=3&theater

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=215947251840225&set=a.215947161840234.35363.100002748547421&type=3&theater

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=216159305152353&set=a.216159155152368.35468.100002748547421&type=3&theater

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só vc parar de ser bobo, oras =-P!Vc desenha muito bem tbm, lembra quadrinhos.

      Excluir
  5. Amei,!!! Também estou fazendo curso técnico de teatro, unicamente para aprender , pois fiquei apaixonada pelo assunto, e já tenho uma profissão, a de medica,
    Risadinhas tem, porque tem muita gente novinha, adolescente, e 3 ou 4 alunos mais velhos, entre eles eu, entao e natural que os mais novos fiquem afastados dos mais velhos, e que existam risadinhas, etc, mas nao me abalo, nao estou lá pra bajular ninguem,
    Há pessoas muito bacanas na classe e nelas que vou focar,
    O teatro deu um rumo maravilhoso na minha vida, e esta me fazendo ser uma medica melhor e me faz ser uma pessoa melhor e uma paquera/ namorada melhor( uma pena que a relacao nao deu certo)
    Gostaria muito que vc lesse um texto que escrevi esse semana sobre bullying, no domingo passado, pois pela sua pastagem aqui tem vários aspectos que vc se identificaria,
    Continue firme e forte no seu aprendizado, nas suas descobertas, pois isso e uma das coisas boas que a gente leva da cisa e ue ninguem tira de nos,,.;)) super beijo!!!

    ResponderExcluir
  6. Olá!lerei, aliás, meu p´roximo post será sobre isso.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Dayane! Venho comentar porque estou nesse contexto de pós-graduação e o amor que essa fase nos desperta (em um primeiro momento).
    Em termos individuais, de crescimento pessoal, tenho gostado do mestrado porque finalmente compreendi (ou dei um sentido a) minha área de estudos, mas, em termos interpessoais, odiei, odiei, odiei a experiência.
    Em vez de encontrar um grupo de identidade, de pessoas com a mesma visão de mundo, encontrei foi gente mesquinha, empenhada em fazer fofoca (principalmente por causa das disputas por recursos de pesquisa - bolsas, viagens, direitos de publicação) e não fiz amigos (e acho que isso é um indicativo da falta de sintonia com o grupo).
    Eu me desapontei profundamente com as pessoas do mestrado, mas estou seguindo firme e forte porque me preocupo com meu crescimento individual e acho que estou ali é para estudar e aprender, não pra ser popular.
    Quando comecei meu mestrado no ano passado, fiquei feliz justamente porque acreditava que quem estava ali "estava porque queria", só que, com o tempo, fui vendo que muita gente estava ali para descarregar as frustrações de não ser compreendido na área que realmente queria e, principalmente, muita gente estava ali para competir.
    Você leu meu post sobre a competição por bolsas de pesquisa e o terrorismo que alguns colegas (mesmo bolsistas) têm feito contra aqueles que precisam trabalhar, mas possuem mérito e conseguem bolsas. É tanta fofoca, tanta perseguição (eu descobri que venho sendo stalkeada em meu perfil no academia.edu, onde coloco meus papers) e tanta mesquinharia que eu decidi que não quero mais ficar EXCLUSIVAMENTE na academia, como eu já quis.
    Minha primeira impressão da pós foi muito positiva, como a sua, mas depois desenvolvi ojeriza das pessoas e acho que elas passaram me odiar à medida do meu sucesso.
    Têm sempre uma desculpa. Se eu consegui bolsas, foi porque sou amiga do professor, se eu consegui viagens, foi porque conheço as pessoas da reitoria, se eu consegui publicar em uma revista inglesa, é porque conheço gente de lá, enfim, os fracassados sempre inventam desculpas para o sucesso dos outros.
    Espero, Dayane, que você se realize muito no seu mestrado, tanto pessoal quanto interpessoalmente. Creio que eu só dei má sorte e caí em uma turma ruim, mas que sua turma pode ser melhor, de gente boa mesmo e interessada em evoluir.
    Um forte abraço e a frase atribuída a Abraham Lincoln: "Para evitar críticas, não faça nada, não diga nada, não seja nada". Acho que não compensa, né? As críticas são sempre menores que nossos objetivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isa!
      Por enquanto a pós está maravilhosa, mas eu passei por tudo isso que vc falou na graduação. Era tanta inveja, tanta fofoca que não sei cm não desintegrei!Eu ouvia boatos horríveis a meu respeito, as pessoas riam quando eu tirava uma nota baixa ou quando errava algo em uma presentação. lembro de quando consegui meu estágio no Mesue de Arte Contemporânea, que era dado apenas aos alunos da USP e eu consegui, mesmo sendo d eparticular. Contei isso pra minha professora em uma cozinha, onde estavam tds, mas contei baixo pra ngm ouvir. Porém ela fez questão de alardear. me abraçou, parabenizou, disse que estava orgulhosa de mim e creio eu, penou que os outros alunos fariam o mesmo. sabe o que aconteceu? Silêncio absoluto!Ngm falou um pio e começaram a mudar de assunto. Depois ouvi vários mexericos de "o que será que ela fez pra conseguir a vaga?". Fui COMPETENTE, só isso.

      Excluir

Sinta-se á vontade