quarta-feira, 14 de maio de 2014

Tempo

O distanciamento causa novas percepções. Não estar mais dentro do conflito pode tanto ser um agente superficial, quanto um otimizador do olhar. O tempo passa agora seguindo um ritmo antes desconhecido, talvez o seu próprio, sem distorções da realidade. Antes, era um tempo deslocado, que trazia do futuro medos que não existiam e do passado dores ainda não curadas.
Não posso dizer que o tempo me pertence, mas que já sei lidar com ele em seu compasso. Aprendi a seguir suas regras e entender que tudo caminha na hora que tem de caminhar. Posso , ao largo disso, me reconstruir por dentro, me apropriar do meu próprio fluxo, meu próprio tempo e deixar que o relógio cumpra sua função sem que minhas mãos tentem o deter.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se á vontade