Páginas

domingo, 6 de setembro de 2015

Sendo professora de seres mais que especiais!



Sou arte educadora desde 2009 e sempre tive interesse  pelo público com deficiência intelectual.  Em todas as exposições em que já trabalhei, sou a entusiasta dos C.A.P.S, C.E.C.C.O  e etc. Passar uma hora com eles já me preenchia imensamente, mas apesar do amor pelo meu trabalho , ainda me faltava experiência e estudo sobre como lidar com tal público.

Há pouco mais de um mês, a vida tem me aberto uma porta muito especial: ser professora de adolescentes com deficiências intelectuais diversas. Mesmo as aulas sendo poucas e o valor idem, não pensei duas vezes em aceitar essa oportunidade de crescimento profissional e humano. Ainda não havia trabalhado em sala de aula como professora, então, a oportunidade de adquirir experiência com o público que mais amo e como docente só tem a acrescentar!

Não é fácil, todos os dias tenho que me adaptar. O fato de haver várias patologias na mesma sala também dificulta, mas não o torna o trabalho impossível. Estar em contato com eles diariamente e poder ver seus progressos, diferente de vê-los uma única vez na vida, como é nas exposições, é extremamente gratificante!

Dou aula apenas para meninos, que vão de 11 a 21 anos. Há de se entender que apesar de diferentes, são adolescentes como todos e os hormônios estão enlouquecidos, além da curiosidade, rebeldia e interesses comuns a qualquer adolescente. Procuro falar com eles sobre tudo, não reprimi-los e nem tentar “moldá-los” , mas as palavras e gestos precisam de atenção redobrada, já que a abstração é comprometida e levam tudo muito para o literal.

Em tão pouco tempo, ouvir coisas que antes para mim eram normais como “ idiota”, “imbecil”, “retardado” já me fere os ouvidos e me indigna. Eu mesma tinha a mania de falar que era “meio autista” por ser mais reservada e ter gostos peculiares e hoje me reprovo muito! Se eu soubesse como é difícil a vida de quem tem autismo e como estamos carentes de profissionais especializados e comprometidos que façam a vida destes ser um pouco mais inclusiva, jamais teria feito uma analogia tão infeliz!


Embora seja algo totalmente novo, meu coração explode de amor e ansiedade! Descubro cada vez mais que é o afeto que faz com nos liguemos, além de claro, muita empatia.  Estou apenas no início do aprendizado e sinto que finalmente, estou  fazendo algo de útil de todo meu estudo! Conforme as coisas forem acontecendo, venho aqui dar mais uma palhinha! Peço também ajuda para quem já tem experiência =) !

2 comentários:

  1. Estou muito feliz com essa nova porta que foi aberta. Creio que fará muito bem a você e aos rapazes que terão aula contigo. Não é fácil e requer mesmo muita dedicação, preparo e jogo de cintura. Mas sinto que dará conta como poucos! Siga compartilhando a experiência!

    ResponderExcluir
  2. Te vejo exercendo teu ofício em saúde mental. Observe as sutilezas e perceba que caminhos te levam e levarão para lá.
    Sorte em tudo o que fizer.
    Saiba que torço muito por voce.
    Vou te deixar uma frase: "Eu venci o mundo"
    Saúde e paz Dayane, hoje e sempre.

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!