Páginas

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Sobre o meu aniversário

2.6

Creio que notaram (ou não) minha ausência nos últimos tempos. Parece que um desejo de me recolher e resignificar vivências se apossaram de mim.

Algo que me fez refletir muito foi à chegada do meu aniversário de 26 anos, em 07 de agosto. Esse ano, mais do que nos outros que também foram  um pouco assim,  fiquei  melancólica e pensativa, querendo que esse dia não chegasse. Parece que estou na fase em que aniversários me trazem mais reflexão e cobranças que expectativa de presentes. 

Recontei minha história a mim mesma. Notei que coisas que me feriam já não significavam nada. Olhei-me no espelho longas horas, me perguntando se minhas roupas, meus gostos, meus livros condiziam com a minha nova idade. Que bobagem!

Mesmo sabendo que ainda sou  jovem, o fato de estar cada vez mais perto dos 30 assusta! Assusta porque lembro coisas de quando tinha 15 anos como se fosse ontem! Assusta por ver que ainda guardo algumas mágoas tão velhas que não fazem mais o menor sentido! Assusta, pois tenho roupas que usava na escola e que ainda me servem! Pois estou vivendo agora experiências que minhas amigas já viveram há 10 anos atrás! Pois vejo mulheres da minha idade com pensamentos que eu tinha aos meus 17, 18 anos! Assusta, pois  ainda dou risada quando perguntam se sou casada ou tenho filhos!

Algumas coisas eu fui tão madura, tão precoce! E em outras, eu sou só uma criança!
Estou vendo o tempo passar e acho que mesmo com todas as dificuldades, fiz um bom proveito da minha vida, ela correu e se desenvolveu. Só Deus conhece cada passo dessa caminhada e como sou orgulhosa por ter chegado até aqui! Mesmo com medo, mesmo assustada, nunca estive tão feliz e me senti tão realizada como me sinto agora! Amo a minha vida, pois hoje a vejo como ela de fato é, sem querer controlar tudo, sem querer que as coisas fossem, e amando como elas são!

Que Deus me abençoe , que abençoe a cada um de nós!


Amém!

3 comentários:

  1. Bacana Dayane! Te desejo o melhor: saúde e paz, não só pra gozar no final como diz a letra de Rita Lee...mas pra gozar sempre, início, meio e fim a alegria de simplesmente viver. Uma existência banhada de muito Guimaraẽs Rosa (simplicidade e coragem)... fica sempre bem!

    ResponderExcluir
  2. E tá bacanão o novo look do blog!

    ResponderExcluir
  3. http://www.vagalume.com.br/rita-lee/nem-luxo-nem-lixo.html
    (Não, eu não duvido da fé)

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade