Páginas

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Ontem

Hoje é um dos dias em que me vejo dando as mesmas voltas sobre as mesmas coisas e notando que apesar de ter vencido muitas batalhas, carrego comigo as feridas que essa guerra me deixou, e elas ainda precisam ser curadas.

Mas ontem, pelos mesmos motivos, olhei pra mim mesma e não acreditei que venci tanta coisa! Que passei pela opressão de uma religião que fazia eu acreditar que meus erros me levariam a perdição eterna, por uma  doença que tirou toda minha vontade de viver e por um relacionamento que me reduziu a pó.

Ontem chorei. Chorei em me ver aqui de pé, viva, pondo todo meu coração no que faço todos os dias. Chorei por ver minhas 3 tatuagens, a forma como escolho com vaidade minhas roupas, minha monografia entregue, os 5 livros que li esse ano. Chorei por mesmo tendo sido, de fato, mal amada e mal cuidada, estou aqui amando de novo, me preocupando em ser uma boa companheira de novo, me empenhando em ter o bom relacionamento que ambos merecemos.

Eu não desisti do amor, da vida, da fé, apesar de ainda sentir dor e ver as feridas sangrarem. Mas eu vou cuidar delas, eu vou me curar dessas feridas de guerra.


Me dei conta que aos 25 anos, sou a melhor heroína que um romance poderia ter.

A menina da Mandala- Desenho meu



7 comentários:

  1. Se ainda há doer, ainda há a respeito o que aprender.
    GK

    ResponderExcluir
  2. As vezes é necessário deixar sangrar... Pa ver se sará de verdade.
    Precisava realmente ler algo assim hoje.
    Obrigado!

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade