Páginas

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Religião deve ser amor, não prisão


Durante muitos anos de minha vida fui de uma igreja evangélica extremamente tradicional. Aos 18 anos, me batizei nela, declarando assim que aceitava sua doutrina, ao  qual realmente segui a risca por escolha própria. Sempre falei muito sobre Deus e a participação essencial que Ele tem em minha vida aqui no blog e até escrevi textos onde falo sobre problemas que enfrentei sendo evangélica. Apesar de seguir rigorosamente tudo o que a igreja dizia ser certo, sentia-me  deslocada e mal vista pelos meus pensamentos e coisas que arriscava fazer. Enfim, após muito tempo lá dentro, decidi com grande dificuldade me desligar desse lugar e deixar para trás vários conceitos e atitudes que eu reproduzia por imposição doutrinária.

Muitas pessoas que me vêem hoje acham que fiz algo “de errado” e por isso me afastei, ou que me sinto triste e desisti de Deus, ou acham que sou uma coitada, que estou “perdida” , sem saber o que estou fazendo. Erro de todos. Decidi sair da igreja após muita reflexão e cobranças internas. Os discursos já não correspondiam com o que eu acreditava (se é que um dia corresponderam), me sentia hipócrita estando em um âmbito no qual eu não conseguia me identificar e sem ferir nenhum principio pregado lá dentro, resolvi sair. Não sai por culpa, não sai por remorso, não sai por “me sentir suja”, sai porque eu quis, porque eu escolhi sair.  Sempre fui imensamente responsável comigo e leal a minhas escolhas e por isso mesmo, só passei a fazer coisas que não eram aceitas pela doutrina da igreja (como as tatuagens, por exemplo) após já ter me desligado.

Também não me sinto triste, pelo contrário, nunca me senti tão fiel ao que creio como agora, tão completa e em paz comigo mesma. Não estou desiludida, não estou fazendo nada por impulso. Faço tudo porque quero, porque escolho, porque tenho plena consciência de que sou uma mulher adulta que sabe arcar com as próprias decisões. Não sofro pelos “amigos que perdi” e quero que mais pessoas que agem dessa forma se afastem cada vez mais.

Não estou escrevendo o texto como uma resposta aos que falam hoje sobre mim, estou escrevendo para deixar claro aos leitores desse blog: qualquer religião, se te faz uma pessoa melhor, é uma boa religião! Se te faz crescer como pessoa, te ajuda e te faz ser mais empático aos seres humanos, é um lugar maravilhoso que você tem o direito de estar o tempo que quiser! Sofri muito preconceito quando era evangélica pelo simples fato de me declarar como uma e sei desse lado da moeda. Se te faz bem, fique! Enfrente o mundo! Não tenha vergonha de suas escolhas e nem de suas crenças! Se para você é importante ser virgem até o casamento, se vestir de uma maneira mais discreta, ter cabelos compridos, se tudo isso faz sentido para você, te faz bem, faça de todo coração! Ninguém tem o direito de dizer como você deve ser, nem a sociedade que vivemos, nem o lugar religioso que está. Tudo o que fizer, se for por amor, é válido, apenas siga sua verdade, mesmo que zombem de você.

Agora, se por acaso você não se sentir mais identificado com a religião que segue, seja forte e questione-se, permita-se ! Sei que é difícil , já que somos ensinados a não questionarmos os ensinamentos bíblicos, mas isso não tem nada a ver com ir contra o que sua religião acredita, você está apenas pensando, evoluindo, não tenha medo disso! Pense o porque de  estar ali, o que te atrai, o que te afasta, o que te faz crescer e o que te limita, pese tudo e veja o que vale a pena para você!

Deus não está apenas dentro de um templo e Cristo pregou sempre perdão, o amor a quem quer que seja! Muito diferente do que vemos igrejas pregando por aí!


Meu conselho é: Siga seu coração, siga sua verdade, estando dentro de igreja ou fora de uma, se for o que te faz bem, não tenha medo! Seja fiel a você mesmo e não se importe com o que os outros irão dizer!

2 comentários:

  1. Perfeito! Me identifiquei muito com tudo o que escreveu. Parabéns pela sinceridade e atitude!

    Kelly Lima.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a refexão, eu acredito que Deus é amor incondicional e seu maior mandamento é amor ao próximo, mas as igrejas (maioria delas) tendem a seguir a biblia a risca e dizem que se vc não executar tudo o que é dito, a sua salvação está perdida , eu acho que salvação é algo muito particular, cada um tem o seu limite.abraços.

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade