Páginas

sábado, 14 de dezembro de 2013

Nossa leveza é compatível a imensidão...

Desenho inspirado na música  A vida é bélica, de Marcelo Jeneci- Lápis d cor, caneta e spray sobre canson- 12/1013-Dayane Okipney
Essa felicidade vivida à conta gotas me dá medo. A sensação de que, de um dia para outro, tudo se tornará história, não me deixa viver o que se dever ser vivido.
Não quero absorver-te em mim, pois sei que em breve irá embora. Sei que não é meu, apesar de querer ser. Não me faço sua porque sei que vou te perder e cansei de deixar pedaços meus espalhados com pessoas que irão embora.
Dói-me toda vez que te abraço, porque sei que esse abraço pode ser o último. Ao mesmo tempo, não me canso de te abraçar, entrego tudo o que tenho ali ,naquele momento, já que você faz com que eu recupere o que há de melhor em mim. Toda vez que te vejo é como se um novo sopro de vida me invadisse.
Talvez você seja só um enviado do alto para me ajudar a voltar à vida, e quando essa cota for completa, não precisará mais estar aqui. E eu vou sofrer, vou sentir, mas vou entender. Eu te entendo, já disse isso mil vezes. Me dói, mas eu entendo.

Quando você for, saiba que o elixir da minha juventude foi você, meu presente, minha bonança após a tempestade. E eu sou agradecida por isso e não quero te pedir mais do que você pode dar. Fique o tempo que quiser o tempo que precisar. Só não se esqueça de mim quando resolver partir. Ao contrário dos outros, você veio pra acrescentar, não pra me fazer cair e depois fingir que é assim que as coisas acontecem. Obrigada por ter vindo me levantar. Obrigada por você existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se á vontade