Páginas

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Leitura do Mito de Dionísio referente ao tipo INFJ




Como já disse aqui alguma vezes, sou estudiosa de a Simbologia. Meu TCC foi sobre Simbologia Sepulcral e faço Arteterapia com abordagem Junguiana. Fiz para o blog Meu Mundo como INFJ uma leitura simbólica do mito de Dionísio, que é referente ao tipo psicológico INFJ. Junto com análise, deixo minha tela mais recente: Savage.
Beijos


 Muitos podem não saber, mas cada tipo psicológico tem seu "deus", sua criatura mitológica que o representa. Para os INFJs, esse deus é Dionísio (nome grego) ou Baco (nome romano). Esta ligação pode parecer estranha a princípio, já que Dionísio é o deus do vinho e da loucura e seus ritos eram carregados de orgias e prazeres carnais. Mas calma, para tudo há uma explicação! E as explicações podem ser muito diferentes do que o senso comum prega.

Existem muitas versões para o Mito Dionisíaco, mas em essência: Dionísio era filho de Zeus com a mortal Semele. Como fora fruto de mais uma de muitas traições cometidas por Zeus a Hera, sua esposa, esta, tomada de ciúme, fez-se passar por ama de leite do pequeno deus a Semele, convencendo-a a pedir a Zeus uma prova de sua divindade. A prova que Semele pediu foi ver Zeus face-a-face. Como ele havia jurado a ela que não negaria nenhum de seus pedidos, surgiu na sua frente e neste exato momento, Semele morreu, perfurada por mil raios e queimada por tanta luz. Zeus porém , retirou Dionísio do seu ventre e gerou-o em sua própria coxa.Conforme foi crescendo, Hera, não se conformando com a vida do rapaz, o enlouqueceu. Dionísio andou louco até encontrar Sibele, que restaurou seu estado natural e o ensinou os segredos do cultivo dos vinhos. Zeus deu a seu filho o poder sobre os Titãs que dominavam a terra. Titãs eram gigantes, forças da natureza, instinto puro. Estes não aceitaram a condição de serem dominados e mataram Dionísio, estraçalhando-o. Zeus, porém, fez com que seu filho voltasse como uma espécie de entidade que perambula pela terra e acompanha pessoas em estado de êxtase, loucura e delírio.A primeira análise será feita ao nome do deus Dionísio. Dio: Deus, Nísio: Montanha. Essa dicotomia mostra a ideia de que Dionísio estava com um pé no céu e um pé na terra. Era humano em seus prazeres, mas tinha o conhecimento das coisas divinas que poucos conseguiriam entender. Isso em si, já seria uma característica INFJ. Por terem a intuição como função principal, INFJs muitas vezes captam sinais invisíveis aos olhos de muitos, leem nas entrelinhas e mesmo não tendo uma explicação lógica, veem além, através dos fatos. Não esquecendo que os INFJs são o mais místicos de toda tipologia, onde mesmo não tendo uma crença ou religião, atraem-se por assuntos dos submundos, do oculto. Dionísio era, de certa forma, meio deus e meio homem, com um pé na terra e um pé no céu (ou em outros reinos profundos, visto que em uma de suas leituras, ele seria também filho de Perséfone, rainha do mundo dos mortos).Por sua inteligência e sua intimidade com os segredos do divino, Hera, que já não o aceitava por ser filho da amante de Zeus, o enlouqueceu. Quando lemos que Dionísio seria o deus da loucura, logo a ligamos com frases como "viver a vida intensamente", "jeito louco de viver a vida", mas a loucura a qual Dionísio é acometido é a loucura mental, a alienação da realidade, experimentada por psicóticos, esquizofrênicos, depressivos, bipolares, etc. É um estado de introversão, essa loucura parte de dentro para fora! O louco passa a viver em um mundo cheio de possibilidades e fantasias que apenas ele consegue enxergar. Por conta disso, são afastados do convívio social e acabam muitas vezes se isolando, por não serem compreendidos em sua forma de ver o mundo. Após ter retornado a seu estado normal, Dionísio, não podendo mais viver sem este lado, torna-se o deus também do vinho. O vinho, em pequenas doses nos transporta a um estado de "baqueação" (palavra provinda de Baco), ele nos leva do nosso estado natural a um estado de loucura e nos promove a expressão introvertida. Com ele, falamos o que desejamos falar, fazemos o que queremos fazer, nos alienamos das censuras externas e tornamo-nos, de certa forma, loucos. Tomamos coragem para agir de uma forma que seria moralmente ou socialmente incorreta. Não é incomum INFJs serem vistos como pessoas excêntricas, meio fora de órbita e da realidade  A intuição introvertida faz com que INFJs muitas vezes não percebam o mundo que os cerca e não se prendam a tantos detalhes de convívio social, mantendo-se alheios ao que ocorre em certos momentos. Não é difícil, por exemplo, INFJs isolarem-se em uma festa ou terem pequenos círculos de amigos tão excêntricos e "avoados" quanto ele. O INFJ preza muito a livre expressão de suas ideias, geralmente consideradas "loucas" por muitos e procurará um grupo ao qual sinta-se a vontade para vestir-se como quiser, expressar o que pensa, seguir o que acha certo. Muitos INFJs escolhem a carreira religiosa, onde a clausura, a castidade ou a entrega ao próximo são encorajadas. Muitos se tornam artistas, filósofos, atraem-se por religiões consideradas alternativas, vestem-se de maneira extravagante. Tudo o que aos olhos de nossa sociedade seria considerado insensato, loucura. Dionísio, então, recebe de Zeus a função de controlar os ímpetos dos Titãs. Os Titãs na verdade representam nossos próprios instintos: sexuais, fome, sede, ira. Tudo o que é comum ao animal em seu estado mais bruto, sem lapidação social ou religiosa. Dionísio consegue manter os Titãs sob controle até o momento em que todos, de uma só vez, revoltam-se e voltam a tona, destruindo-o. Estamos todos nós, sem exceção de tipos, controlando nossos impulsos e defeitos a todo o momento, mas há uma hora em que estes nos vencem e falamos o que não deveríamos falar, fazemos o que seria melhor não fazermos. Iramos-nos, nos deliciamos, nos entregamos a estes instintos. Com o INFJ, isso se representa com a função sensação extrovertida, onde muitas vezes por não sabermos dominá-la, sucumbimos a ela. Isso juntamente com a função sentimento extrovertido (que nos faz expressar fortemente o que sentimos) pode ser explosivo! O prazer do INFJ é intenso e sua ira também. Uma vez irado, o INFJ pode sair do seu estado de controle dos instintos para um estado de ira excessivamente elevada. Uma vez encontrado o prazer, o INFJ pode-se alienar-se a ele e vive-lo intensamente, de maneira a muitas vezes arrepender-se depois, por seu caráter rígido e julgador que ele tem consigo mesmo e com os outros. Por não ter controlado seus instintos, assim como Dionísio deveria fazer com os Titãs. É comum INFJs terem algum tipo de vício ou não saberem regular bem seu sono, sua fome ou seu ímpeto sexual. Aí entra toda a carnalidade de Dionísio nos INFJs: Uma certa perca no controle daquilo que nos causa prazer.O Mito de Dionísio tem desdobramentos muito interessantes, que em nossa cultura seriam considerados atitudes divinas ou diabólicas, já que somos de uma cultura judaico-cristã.Alguns desdobramentos da figura de Dionisíaca são vistas de maneira mais "diabólica" em nossa cultura. Após ser morto, ele volta como uma série de entidades nas culturas que o serviam. Uma delas é o Loki, ou o sátiro, homens que eram metade bodes, totalmente entregues aos prazeres carnais. Em nossa cultura, ele seria representado pela divindade afro-brasileira Exu: O mensageiro, aquele que é procurado para fazer o caos na vida das pessoas. Adotados como personificações pelos humanos, o Bobo da corte e o palhaço seriam também representações Dionisíacas, pois seriam os "loucos" socialmente aceitos. Aqueles que falam o que ninguém tem coragem de falar em sã consciência, os que satiricamente (proveniente da palavra Sátiros) apontam as falhas dos outros e de si mesmos. O Trickster, ou bobo da corte, era o único cidadão que poderia falar, na cara do rei, todas as verdades que o povo por cautela não falava. Era o único que falava o que queria e fazia o que queria, provocava os que considerava vivendo em hipocrisia e criticava a sociedade por suas regras hipócritas. Assim seria, de certa forma, uma das facetas da sombra de um INFJ. Por ter certa tendência a liderança e por seu caráter introvertido, o INFJ pode muitas vezes falar todas as verdades que achar necessário. Será aquele que andará contra a hipocrisia e criticará o que sentirá necessidade de criticar. Isso, sem dosagem, pode torná-lo um indivíduo caótico e inconveniente. Outro desdobramento, este considerado Divino, seria, nada mais nada menos, que Jesus Cristo. Assim como Dionísio, Jesus era filho de um deus com uma mortal. Assim como ele, Jesus tinha um pé na terra e um pé no céu, era um humano conhecedor e íntimo dos saberes divinos. Jesus Cristo era também, de certa forma, o deus dos loucos. Era o único que andava com a escória da sociedade, que disse ter vindo para curar os doentes, e não os sãos. ("Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são" 1 Coríntios 1:27-28). Assim como Dionísio, Jesus também mantinha seus instintos humanos sob controle e lutava para que não sucumbisse a eles. Assim como Dionísio, Jesus não foi aceito e foi destruído por aqueles que ele veio salvar. Nos rituais Dionisíacos, come-se um touro, que é morto na unha, e bebe-se vinho. Assim também, Jesus deixou para que seus seguidores comessem da sua carne e bebessem do seu sangue, que é representado com o vinho. E não sei se vocês sabem, mas Jesus Cristo foi inegavelmente um INFJ.

[Escrito por: Dayane  (AneEterea), que é estudiosa da simbologia Sepulcral e cursa Arteterapia com abordagem Junguiana. E sim, é INFJ.]
Savage: Tinta acrílica, pastel oleoso, carvão e spray sobre tela.

8 comentários:

  1. Adorei o quadro!! Foi vc quem pintou?? Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ps.: se vc autorizar, em breve gostaria de publicar o seu quadro no meu blog, dando os créditos a vc e colocando um link pro seu blog.
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  3. Eba!!! Em breve coloco lá, e te aviso.beijos.

    ResponderExcluir
  4. Publicando seu quadro hoje no meu blog,se quiser, me de seu nome completo para que eu cite direitinho,senao, cito so seu primeiro nome e seu blog ;)) bjs

    ResponderExcluir
  5. Adorei o seu post, Ane. Achei ainda agora procurando sobre função principal do INFJ e me surpreendi, até então não tinha visto nenhum texto nessa sua linha de pensamento.

    Um intenso abraço de um INFJ para outra. c:

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!