Páginas

domingo, 9 de setembro de 2012

Minha forma de ver o Cristianismo



Não sei se todos sabem, mas eu sou cristã, na verdade, evangélica e de uma igreja muito tradicional, destas que defendem cabelos compridos e saias para mulheres e ternos e falta de barba para homens. Pode parecer um tanto contraditório para quem lê  minhas postagens, com todos esses meus discursos feministas e libertários. Mas é aí que está: Jesus nunca pregou a tristeza, a prisão espiritual, o julgamento, a inferioridade feminina. Embora eu creia na Bíblia como palavra de Deus,  tenho consciência que ela é, sobretudo um livro HISTÓRICO, que relata fatos e costumes de determinada época. Se não fosse assim, estariam os homens ainda hoje andando com mantas, a mulher se casando com o irmão de seu marido quando ficasse viúva,etc. As pessoas não conseguem entender que a palavra de Deus está na essência do que foi escrito, e não em costumes de época. Outra coisa que percebi é que, nas passagens em que se relatam as palavras e ações de Jesus, não há menção alguma a homossexualidade, a perdição eterna, ao corpo como sendo algo sujo e impuro entre tantas coisas TÃO DIVULGADAS pelo cristianismo de hoje. Quanto à questão sexual, é até o contrário. Quem ler Cantares de Salomão verá o quanto é relatado de forma explícita o desejo sexual dos amantes, suas fantasias, seu amor um pelo outro, tanto o homem quanto a mulher. Não sei de onde tiram também a ideia de que Maria foi eternamente virgem, ligando a sexualidade com falta de santidade. Pelo que entendo, Maria foi virgem até após o nascimento de Jesus. Teve outros filhos e uma vida de mulher casada.
Mas e as passagens bíblicas referentes à homossexualidade? Existem? Sim existem. Acontece que a Bíblia é usada de forma manipulativa por aqueles que são considerados detentores do poder. Nela há muitas passagens que se referem a escravidão, já que a época em que foi escrita era escravocrata. Essas passagens  foram muito usadas na era escravista como argumentos de que aquela era a vontade de Deus, que os servos deveriam ser submissos aos seus senhores, com temor e tremor. Há muitas partes Bíblicas que foram usadas para a submissão da mulher, onde seu dever seria somente ter filhos, cuidar da casa e ser obediente ao seu marido, como se este fosse seu dono. Hoje essas passagens sobre escravidão não são mais pregadas, a não ser que com um outro viés de interpretação, mais subjetiva. As passagens sobre a submissão da mulher ao marido, ainda que pregadas (machismo não existe só nos cristianismo não, camaradas!), também foram “reformuladas”, onde a mulher seria o corpo da casa, mesmo o marido sendo a cabeça: existe cabeça sem corpo ou corpo sem cabeça?
O que quero dizer é que a Bíblia é um livro sim, sagrado (para mim e para os que creem), mas também um livro de referências históricas , usado de acordo com os interesses políticos de cada geração. Qual era o interesse dos escravos terem  consciência que também eram filhos de Deus, que tinham alma,que portanto, tinham direitos e eram iguais a todos os seres humanos?  Isso era algo muito perigoso e desfavorável aos seus senhores. A expansão da mulher é uma afronta terrível ao patriarcado, a classe masculina dominante, por isso, trechos que se referem a estas como inferiores ainda hoje são muito usados. Assim também , a homossexualidade, vista como uma afronta aos conservadores e preconceituosos, onde mais pessoas terão direitos e deveres iguais, está sendo fortemente perseguida.
Eu , que nunca vi Deus como um ser opressor, vingativo e punitivo, agora estou o vendo como algo abrangente, muito maior do que a forma limitada que as pessoas o classificam. Na Bíblia há inúmeras passagens que falam de amor incondicional, perdão, paciência, não julgamento, amar ao próximo , mas o que é difundido é o medo, a culpa, a angústia. Tudo é pregado ao contrário , de acordo com interesses próprios de uma sociedade vigente.
Claro que há coisas que são mandamentos, claro que creio no pecado e na salvação da alma. Mas a imagem que tenho de Cristo, é aquela do homem que protegeu uma prostituta que seria apedrejada, não este que dizem condenar mulheres pela forma como se vestem ou se comportam. É o homem que andava com a classe mais baixa da sociedade sem julgar ou menosprezar ninguém, nãos este que dizem “Você deve se sentir superior aos demais, não se misture com pessoas que não são da sua religião. Você é uma princesa”. Creio naquele Cristo que derrubou as barracas da  frente do templo por fazerem da casa de seu pai, casa de comércio, não este que dizem querer seus dinheiro e vender apetrechos milagrosos. Creio em um Cristo que perdoou seu amigo após tê-lo negado três vezes, não este que aponta o dedo na sua cara e diz que se você não for perfeito, não terá salvação. Em um Cristo que disse que a igreja não é um edifício, mas que Nós somos a igreja!E não este que insistem em mentir e pregar que faz parte apenas de uma denominação, de um templo. Ele disse “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”, sem fundar igreja alguma para isso. Acredito em um Cristo que pregou o amor próprio e a autoestima com “Amai ao teu próximo como a ti mesmo”, não um que fala que você não é nada, que você é sujo, imundo, que seu corpo é pecaminoso.
Enfim, minha forma de ver o cristianismo vai muito além de pregações, de doutrinas, de o que escuto na boca de pregadores.
Sirvo a Deus com minha alma e com meu coração. Como disse Cristo, “Minha graça te basta”.

27 comentários:

  1. Day, a "ideia" que Maria foi eternamente virgem surgiu da própria Bíblia, para nós católicos (também pelas aparições dela, que deram origem a alguns títulos em que ela confirma ter sido virgem durante toda a vida). Não cremos que Maria teve outros filhos pois a palavra "irmãos" só assim aparece porque não havia uma tradução adequada para primos/parentes próximos, além disso o Evangelho não relata a presença de outros filhos quando a família de Jesus vai ao templo, por exemplo e quando se referem às outras mulheres (por exemplo, uma outra Maria que havia) está escrito "mãe de Tiago e de José", o que não acontece com Maria que é sempre descrita como "mãe de Jesus"... Mas enfim, isso é basicamente o que os católicos acreditam (se você quiser ver: http://www.youtube.com/watch?v=MWGW02v4r_4&feature=player_embedded, caso eu não tenha sido muito clara). Então, o fato de Maria ser considerada virgem não significa de forma alguma que o sexo está ligado com a ausência de santidade! Tanto é que a Igreja tem inúmeros santos que foram casados e reconhece o casamento como um dom e até uma necessidade (para os que são chamados ao casamento, claro) para a realização dessas pessoas...


    Muito importante isso que você falou da existência da cabeça sem o corpo ou vice-versa! Realmente tem gente que pega passagens da bíblia dizendo que Deus é a favor do machismo, praticamente. Mas esquecem de falar que nas cartas de São Paulo tem claramente que os maridos devem amar suas esposas como Cristo amou Sua Igreja (ou seja, doando sua vida por ela).

    Jesus é mesmo esta doçura que você descreveu... Um amor. Ele acolhe e realmente não condena do jeito que você disse, mas creio que após o perdão que Ele nos dá, exige uma mudança de vida (a partir do momento em que O reconhecemos como Aquele que O é). "Vai e não voltes a pecar"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Luana, isso é verdade. Ele protegeu a prostituta, mas não aprova a prostituição, assim como ele não aprovava aqueles com quem andava, mas não os condenava.Mas isso que vc diz é certo mesmo, temos que viver em novidade de vida.
      Não sei bem como vcs vêem essa questão de Maria mesmo, eu sempre interpretei que ela teve de verdade uma vida de casada com José. Legal vc ter falado sobre os santos que foram casadas, não tinha esse conhecimento.
      Ia colocar essa passagem também que diz que o marido deve amar a esposa cm Cristo ama a igreja .
      Obrigada pelo acrescimo =)

      Excluir
  2. Vou falar da Igreja Católica, por motivos óbvios.
    Se você ouviu da boca de algum católico que sexo é sujo e pecaminoso, ou que Nossa Senhora foi virgem até o fim por que o sexo sujaria ela, este esta sendo completamente contraditório. É pelo fato de que o sexo tem uma grande importância na vida cristã que ele precisa ser visto com cuidado. O católico é muitas vezes chamado moralista e puritano por zelar para que esse ato (com um sentido sacramental) não seja banalizado. Mas também por sua grandiosidade, e pelo significado de doação, entrega e amor, muitos são chamados a escolher se guardar, expressando assim que toda essa entrega e amor são para Deus. O pai e a mãe de familia não são menores ou maiores que os que escolhem celibato (por causa disso), mas em Maria isso teve um significado muito especial. A mãe de Jesus, para os católicos, viveu unicamente para ele. Se entregou inteiramente e se guardou até o fim.
    Sobre isso, você pode consultar o catecismo da Igreja Católica. Lá esta reunida toda a Fé da Igreja. Se você quer saber o que a Igreja Católica crê, é mais confiavel consultar lá que ver a opinião de zés que dizem isso ou aquilo.
    Sobre o homossexualismo, a Igreja nunca nunquinha vai aceitar como algo correto, e a prática sempre vai ser vista como pecado (e aí é uma questão de Teologia), mas igualmente pecado é desprezar, humilhar, excluir, agredir ou o que seja, o pecador. Nós não vamos aceitar que a vida de um homossexual que vive o homossexualismo na prática esta certa, mas acolhemos e respeitamos acima de tudo. Afinal, TODOS NÓS SOMOS PECADORES, né!

    Jesus é mesmo misericóridia e amor! Claro que sim! Mas isso que luana disse é certissimo: Ele não condena, mas exige! Nesse ponto, eu acredito que eu sou um tanto babaca demais pra acreditar no que me for confortável. Sempre vou acabar caindo nos meus confortos e interesses! Então só me resta crer na Igreja, que, creio ser fundada por Cristo na Santa Ceia, apascentada pelo Pedro perdoado. É aí que preciso de uma Religião, não por que devo me submeter a algo, mas por que me reconheço fraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renan!Meu texto não foi uma crítica a igreja católica, mas a visão cm o cristianismo é difundido, por católicos e evangélicos. Aliás, muitas coisas em igrejas evangélicas são erradíssimas e essa minha crítica foi mais direcionada a elas.
      Quanto a questão da homossexualidade, é cm vc disse: Todos somos pecadores! Se ser homossexual for um pecado, julgar um homossexual é pecado também. Mas vc não vê passeatas dizendo que quem julga o p´roximo está condenado ao inferno, nem querendo impedir os direitos dos julgadores, nem apontando julgadores na rua e dizendo que eles são aberrações. Entende a diferença que quero apontar? Os homossexuais foram pegos cm bode espiatório de uma sociedade cheia de pecado e hipocrisia.

      Excluir
    2. Foi mal se deu a entender que eu disse que você criticou a Igreja! Só quis dizer que era isso que eu podia defender :D
      Entendo o que você disse, mas daí pra apoiar o homossexualismo é diferente.

      Excluir
  3. Comentário do Thaigo no Facebook:

    Essa coisa de corpo sujo, imundo, é coisa de gnóstico e de puritano e puritanismo é considerado herege porque ele vê certas coisas como más em si mesmas, ignorando a temperança e as intenções pessoais.

    Quanto a homossexualidade, não há dúvidas que é pecaminoso, pois ela anda contrária a uma finalidade. E o conceito de mal no cristianismo é quase sempre buscar o bem por meios errados.

    Deixando claro a diferença: indivíduo homossexual =/= ato homossexual ou condescendência ao desejo. Tem gente que acha que o homossexual já estaria condenado só por sentir esse desejo. Mas desejo de pecar todo mundo sente. A coisa se torna pecado quando você abraça esse desejo.

    Cristo não fala nada diretamente sobre homossexualidade, mas fala que o casamento é entre um homem e uma mulher.

    Sobre a escravidão, Jacques Maritain:

    "O fermento evangélico, uma vez deposto na massa, trabalhará interiormente o mundo e provocará, a longo prazo, mudanças na própria ordem temporal. É justamente por esta razão que o evangelista, como tal, não tem que se preocupar com melhorar as coisas da cidade terrestre, deixando êste cuidado a outros. O essencial para êle é trazer um fermento puro, para a vida eterna. Paulo fez mais pela escravidão, ensinando a essencial igualdade diante de Deus, do escravo e do senhor, do que se tivesse atacado de frente as instituições jurídicas de seu tempo. Toma as situações temporais tais como são no momento em que fala. E ensina os cristãos a elas levar o espírito da Nova Lei."

    ResponderExcluir
  4. adorei o texto, é bem realista... não vou estender o comentário pra não gerar discussão.

    ResponderExcluir
  5. Temos formas parecidas de pensar, muito embora eu nao siga nenhuma religião especifica,

    Acho uma hipocrisia condenar homossexuais, sexo antes do casamento, etc.Alias, se fosse assim, eu nunca poderia fazer, porque nunca fui casada,

    Sou contra a banalização do sexo, contra relações descartáveis, fast- food, mas unicamente porque já experimentei e nao me senti bem,gosto de um grau de envolvimento,


    No mais, se Deus existe e e tao bom assim, acho que ele nos criou para sermos felizes, sabe? Desde que vc nao faca mal ao outro, nao vejo problemas em viver sua vida como bem entender,;)


    Ps: nao sei se creio em Cristo, mas isso nao e importante na minha vida...tenho meu Anjo da Guarda, e e nele que deposito a fé;))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu creio que o sexo seja algo muito bom, deixado por Deus e não só para procriação, cm dizem, mas para obtermos prazer, envolvimento, satisfação, entrega. É cm diz um trecho "Deixará o homem a sua casa e unir-se-á a sua mulher, e serão uma só carne". Pra mim é essa coisa de conexão com o outro total, sincronia, cheando mesmo a ser algo espiritual. É algo precioso para mim, cm disse o Renan. Por isso mesmo eu concordo, dentro da fé que sigo, em sexo ser feito apenas com aquele que vc decidiu unir-se para ser uma só carne, não com várias pessoas, pois é quase uma ligação cósmica. Digo que assim é PARA MIM, sei que não para todos. E isso não é só no cristianismo, pelo que noto, há outras religiões que pensam o mesmo, esses dias até vi algio no facebook falando para tomarmos cuidado com quem trocavamos nossas energias (relações sexuais), pois haveria uma troca energética, de chaákras, não sei bem.

      Excluir
    2. Retificando "Deixara´o homem seu pai e sua mãe e unir-se-á a sua mulher, e serão ambos numa só carne"

      Excluir
  6. Uma das criticas que se fazem hoje em dia para o cristianismo é que está deixando de lado os ensinamento de cristo e se preocupando muito mais com moralismos religiosos. Um dos pontos que vc e os comentaristas tocaram sobre a homossexualidade e que é polêmico, pois vamos e convenhamos os evangélicos não sabem lidar com eles, queremos apenas modificar a sua forma de vida, mas não pensamos em ajudá-los para superação dos preconceitos. Outro ponto q que deixa irritada, não é tanto a questão de sexo.. sei que para algumas denominações ele é vista como sujo e pecaminoso, mas é como vc diz basta uma olhada mais atenta na bíblia especificamente em Cânticos e até mesmo nas cartas paulinas para ver que a coisa não é bem assim. Mas é sobre a questão do machismo que insistem em dizer que mulheres evangélicas são submissa,s mas quando vc vai ver na realidade isto não é bem assim. Dai minha decepção com o feminismo no tempo que passei flertando com ele, pois para alguns é impossível eu ser feminista mas ao mesmo tempo amar um Deus. Por isso escolhi Deus, pois acredito que posso muito bem mudar o meu mundo e o meu pensamento sem abandoná-lo. Afinal, Jesus fez isso, mudou o mundo de sua época por amar um Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSA< LANE!É CANTARES!!!!!EU ESCREVI SALMOS DDDD:!!!!!

      Excluir
  7. "Dai minha decepção com o feminismo no tempo que passei flertando com ele, pois para alguns é impossível eu ser feminista mas ao mesmo tempo amar um Deus. Por isso escolhi Deus." Nossa Lane, me emocionou essa parte!Tocou mesmo =(!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus Cristo foi o mair revolucionario da historia humana, seguido por buda e gandhi, num momento da historia humana em que as mulheres valiam menos que as cabras, ele interveio contra um apedrejamento, no que deve ter sido o primeiro ato feminista da historia.

      Excluir
  8. Eis um assunto capaz de me prender por dias e dias. Só pra começar, sou totalmente contra a frase que diz "Política e religião são duas coisas que não se discutem", pois acho sim que esses dois temas devem não só serem discutidos assim como devem ser cuidadosamente analisados por todos nós.
    Tenho muitas dúvidas quanto a minha fé (nada a ver com religião) pois a considero muito fraca (mas também não sou ateia), não porque eu não queira acreditar, mas simplesmente porque eu não consigo acreditar fielmente em tudo o que vejo na Bíblia e muito menos no que pregam as igrejas (me refiro tanto as igrejas ditas católicas como as evangélicas). Sei que quando se trata de Deus nós usamos muito mais a emoção do que a razão, mas torna-se difícil, pelo menos pra mim, crer em algo que, sejamos bem sinceras, nunca foi provado. Ok, existem testemunhos lindos, incríveis e tal, mas quem me garante que tudo o que dizem é verdade? É um argumento fraco, eu sei, mas minhas dúvidas começam daí. Não vou começar um debate aqui porque o comentário ficaria muito extenso (mais do que de costume) e eu acabaria entrando em outros assuntos e não seria legal.
    Enfim, sou contra qualquer tipo de religião, principalmente porque acho um absurdo essa história de doutrinas. Sei que a sua igreja é cheia delas e espero não te ofender com isso, mas se a palavra de Deus é uma só, porque é pregada de tantas maneiras diferentes por pessoas que dizem conhecer a palavra dEle? Mais uma vez um argumento fraco, discutir doutrinas... me poupe! Mas esse é o principal motivo para que eu não me "converta" em religião alguma. Mas voltando ao assunto, apesar de ser contra qualquer tipo de religião, sou muito mais contra pessoas que vêem nos cristãos/religiosos um cérebro vazio, pessoas ignorantes e burras. Cada um segue o que acredita, essa é a minha opinião e no que EU acredito. E esse é mais um motivo pra eu não crer na Bíblia, pois lá está escrito que aquele que não crê em Deus não é digno do seu perdão, mas ao meu ver, uma criança que cresceu e aprendeu que Deus não existe ou que existem mais do que um deus acima de nós (ou qualquer outro ensinamento que contradiz a Bíblia), fala sério, ela não vai mudar seu pensamento porque um, dois ou um mutirão de pessoas lhe disseram o contrário, assim como um cristão não acredita quando um ateu diz que Deus não existe.
    Mas apesar de tudo, respeito os cristão (os cristão de verdade, não aqueles que se dizem cristãos e apontam o dedo pra todo pecador)e até tenho "manias" de cristão porque cresci dentro da igreja e me ensinaram algumas "regras" que eu, independente do que eu acredito ou não, não consigo ignorar (notou que eu faço reverências como usar sempre o "d" maiúsculo quando vou escrever o nome "Deus"? Pois é, são esses tipos de manias que eu não largo nunca). Também respeito os ateus por eles terem a coragem que muitos "crentes" não tem, de contestar e de querer entender qual a lógica em seguir um ser que ninguém nunca provou ser verdadeiro.

    Mais uma vez um comentário do tamanho de Júpiter, mas não creio que você vá se importar. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana! Pode comentar o quanto quiser!
      Isso de "crer em algo que ngm provou" é bem verdade, pq não há provas paupáveis da existência de Deus, mas tbm não há nada que prove o contrário. Contudo, cm vc disse, tds os dias pessoas presenciam testemunhos lindos de milagres, aparições, visões, coisas impossíveis do homem decifrar. sempre penso nisso.
      Há pessoas que se sentem melhor seguindo algumas regras e princípios, há quem se sinta melhor livre, creio que seja algo pessoal, por isso tantas igrejas por aí, pois cada um sabe cm se sente melhor quanto a religiosidade. Eu mesma .não me sinto bem em igrejas "renovadas", por assim dizer, gosto das mais tradicionais.

      Excluir
  9. É interessante notar que os termos "virgindade", "castidade" não tinham, naquela época, o mesmo significado que tem hoje. A sacerdotisas "virgens" eram aquelas que não casariam, pois as primeiras décadas de suas vidas deveriam ser de dedicação às deusas. O que de maneira alguma significava que se absteriam do ato sexual. Muito pelo contrário, quando chegava a hora de participar dos rituais que envolviam sexo e se engravidassem, seus filhos seriam chamados de "filho da virgem" e poderiam ser considerados deuses ou semi-deuses. Quem mais para parir o "filho de Deus", senão uma "virgem"? Termos já tão presentes em culturas da época e que não surgiram com os cristãos.

    Sempre interpretei que a história da virgindade de Maria foi inspirada nisso e foi deturpada, como muita coisa foi. Além das modificações intencionais feitas na bíblia em épocas diversas, significados também se perderam tanto nas traduções quanto na passagem de tempo, nos preconceitos, no interesse político, nas associações feitas para tornar mais palatável a transição do paganismo para o catolicismo...

    Enfim, tudo isso pode ser uma curiosidade ou suscitar debates acalorados, e cada um tem todo o direito de apreciar a questão à sua maneira, mas o que me importa mesmo é o conteúdo da mensagem de Jesus. Se Maria era virgem ou não, se o próprio Jesus permaneceu virgem, é algo que não denigre em nada os ensinamentos passados. A mensagem ainda é de amor.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito do seu comentário, liana. Não sabia disso no paganismo, das virgens e creio que tenha sido sim uma influência para o cristianismo, assim cm tantas outras coisas foram.

      Excluir
  10. creio que as pessoas querem adapatar os escritos bíblicos a sua vontade pois muita coisa lá é meio a ferro e fogo aí as pessoas dizem: não tempos mudaram é outra interpretação mas na verdade eu ja li a biblia quase toda e sim havia mortes e sim o homem era considerado o cabeça, fazer parte da religião é seguir as regras a risca ou posso sempre dizer que creio em deus e seguir só o que serve pra mim pegar o que importa e o que nao importa, ignorar que a biblia condena homossexualismo, mas se eu decidir seguir o cristianismo no mundo moderno serei visto como preconceituoso

    mas texto bem escrito e visão larga da coisa
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aquiles, concordo totalmente com vc!É muito fácil pegarmos apenas o que nos convém, o que for mais confortável e esuqecer as outras regras, os mandamentos. Vc tem razão.
      Mas cm vc disse, há coisas lá que são pegas a ferro e fogo, o que não cabe mais nos dias de hoje. Minha crítica tbm é muito mais a como cada interpreta a seu bel prazer e cm a Bíblia foi e ainda é usada cm um instrumento de manipulação de interesses vigentes.
      Quanto a questão da homossexualidade, a Bíblia a aponta assim cm aponta uma série de outras coisas que seriam condenáveis: julgamento, bebedeira, mentira. Todos nós erramos e pecamos diariamente. Mas apenas a homossexualidade causa todo esse furor. Não é a Deus que cabe julgar, perdoar, aceitar? A salvação da alma não é individual? Então pq tantas pessoas perseguem a conduta de vida dos homossexuais? Que direito ou interesse elas tem disso? No que isso modifica sua vida?

      Excluir
  11. Fortaleça meu espirito meu pai, me guie no caminho do bom combate, me de forças para voltar a ser quem eu ja fui um dia, quem eu poderia ter sido pai, me perdoe pelo que eu sou....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, ainda há tempo!Nada está acabado!Tenho certeza que Deus está d ebraços abertos pra vc, prova disso é que vc sente falta dele em sua vida. se ele não estivesse com vc, vc não sentiria isso.

      Excluir
  12. Que ótimo ouvir isso de alguém evangélico. Sério. Eu sou espírita e a maioria das pessoas (não só evangélicas) acham que o espiritismo não sabe de nada, só porque não nos baseamos na bíblia. Eu acredito exatamente nesse Deus que você descreveu. Eu sigo exatamente esses ensinamentos Jesus apontou!

    O que eu acho, e que talvez possa ter acontecido, é que Jesus veio em um tempo onde havia muita barbárie, muito desamor. Se ele falou: a mulher cuida da casa e dos filhos, e o homem vai trabalhar, era porque as pessoas eram tão desreguladas que se não fosse uma "palavra de ordem", elas iam continuar no mesmo estágio evolutivo sem conseguir melhorar. Foi preciso dar ordens porque naquela época as pessoas estavam perdidas.

    Tenho certeza que se Jesus viesse hoje, ele não ia dizer as mesmas coisas, porque estamos em outro momento, com outros problemas, precisamos de outras diretrizes...

    Enfim, eu particularmente não ligo muito pro que dizem que Jesus disse. Me atento mais na pessoa que ele foi, no ser de luz que ele continua sendo, no exemplo que ele deu, e no amor que ele teve e tem por todos.

    :)

    ResponderExcluir
  13. Dayane
    Ja fui cristã e em uma denominação muito rigida, e que seguia a biblia literalmente, pregavam q quem lê a biblia sob uma perspectiva historica estava sendo apostata.
    Só não seguiam os rituais mais antigos sob alegação de cristo os cumprira todos, e não eram mais necessários, proibiam todas as celebrações até de aniverssarios, enfim eram bem radicais.
    Pessoas como vc descreveu q é Dayane eles diziam que eram aquelas q usavam a biblia para fazer cocegas nos ouvidos, só liam e aceitavam o q lhes parecia razoavel, esquecendo de todo o resto.
    Acho q ja te falei em outra oportunidade Dayane que no meu intimo gostaria q houvesse um Deus de amor, seria tão bom em momentos de aflição ter alguem que com amor recebesse as minhas suplicas, mas não ha.
    As partes q vc disse que são mais significativas p vc, tb tocaram meu coração, mas a que eu mais gostava era aquela "MACHO E FEMEA OS CRIOU" nessa simples frase era revelado que não havia diferença na criação dos homens e das mulheres, e q portanto deveriamos ter os mesmos direitos.
    Só que o q me incomoda na biblia não são os trechos q eu não compreendo, são justamente os q eu compreendo.
    Cristo realmente mostrou empatia com a adultera, e tb com a mulher samaritana, mas não escolheu nenhuma mulher como apostolo.
    Nas cartas de Paulo são reafirmadas a inferioridade da mulher, nem vou falar nas escrituras mais antigas chamadas velho testamento, pq ali mulher nem era considerada ser humano, com a única exceção dessa frase q transcrevi, mas q logo foi contradita posteriormente.
    Me desculpe se te perturba minha falta de fé, mas não posso respeitar uma instituição no caso a RELIGIÃO que me desrespeita continuamente, todas elas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagine, não me perturba, eu entendo vc =)

      Excluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!