Páginas

sexta-feira, 30 de março de 2012

Alguma reflexão sobre o ato de viver


Foto tirada por mim, no Cemitério da Consolação, SP


Antes que leiam esse texto, logo lhes digo que essas reflexões são MINHAS, não são verdades ou mentiras, são apenas coisas que estão passando pela minha mente . Não será um texto positivo, então quem defende ferozmente o “Carpie Diem” não irá gostar dele.

Estive notando muito como a vida é defendida. Mais que defendida, como ela é colocada como uma obrigação. Você tem obrigação de viver, não importa o que aconteça, não importa se você goste ou não, não importa se sua vida é boa ou ruim. O tempo todo ouvimos frases para “valorizarmos a vida”, que a vida é maravilhosa, é um dom, é felicidade.  Mas não , a vida não é apenas isso e cada pessoa tem uma vida muito diferente de outra. E claro, uma cabeça também.
Porque somos encorajados a estarmos bem? Porque estar mal é tão mal visto? Porque a tristeza é algo tão condenável? Pessoas que não se mostram felizes são vistas como pessoas problemáticas; Mas será que quem se mostra feliz realmente o é?
Ser feliz é uma pressão social. Superar, estar bem, dar a volta por cima. E principalmente, tolerar questões intoleráveis!  Há pessoas que terão de viver, pelo resto de seus dias, com um trauma terrível lhe comendo o cérebro: um estupro, uma morte, qualquer coisa que seja uma memória excruciante. Tem gente que não acha legal viver. Você é forçado a  se manter de pé, forçado a seguir a adiante, forçado a ser feliz, parecer feliz. Forçado. Ás vezes vivemos forçados. Ás vezes há uma grande rede de insatisfação nos norteando, e somos obrigados a aguentar, obrigados a nos mantermos vivos, mesmo não querendo.
Eu sei lá...Tenho pensado muito nisso: o direito que deveríamos ter sobre o nosso “bem mais precioso”: nossa própria vida. Há vidas insuportáveis que são encorajadas a continuarem. Porque isso? Porque não deixar quem quer morrer, morrer?  Por não temos direito de decidirmos se queremos ou não continuar?
Sou Cristã, por questões cristãs sei que o suicídio é tido como inaceitável e respeito isso por questões religiosas que eu escolhi para mim. E só. De resto, acho que cada um deveria saber até onde pode ir, qual seria seu último ato.  Por que querer manter um vegetal vivo a todo custo, mesmo sabendo que ele sofre, ou que ele se quer sente algo? Porque o suicídio é visto como uma covardia, sendo que é necessário uma extrema coragem para cometê-lo?
A morte é vista como algo repudiável, ruim, péssimo. Tudo o que é ligado a morte é excluído. Góticos são vistos como “loucos” por refletirem tanto sobre o assunto. Fui crucificada por fazer um TCC sobre Arte Sepulcral, mas a morte não me assusta: ela faz parte, ela é A consequência de estarmos vivos.
 Se você está mal, trsite, deprimido e quer lutar pela sua vida, quer contionuar vivendo, valoriza o ato de viver ,isso é maravilhoso! Isso se chama força, coragem, amor por estar vivo!
Mas e se você não quer?
Viver não deveria ser uma obrigação. Viver deveria ser uma escolha.

P.S: Não é porque tem gente doente e obcecada que vem aqui vigiar a minha vida e tentar me ofender que irei banir todos os comentários anônimos. Há pessoas com temas delicados que não querem ser reconhecidas e merecem respeito, por isso a possibilidade de postar anônimamente está aberta nnovamente. Quanto aos obcecados por mim, nem vou ler mais. Vou olhar e se começar com "mimimi" já deleto de uma vez. Uma pessoa que não tem coragem de dizer o que pensa sobre mim se identificando não merece respeito.Merece pena.



5 comentários:

  1. Tem um filosofo brasileiro que acho que concrodaria com vc... o Ponde, só não sei se gosta dele, quase ninguém gosta. Ele fala que a sociedade moderna obriga o homem ser feliz bem sucedido, livre de preconceitos, critíco, bem informado e realizado sexualmente e quqele que não é assim logo é um fracassado, infeliz, desgraçado.

    Eu concordo muito com ele e acho que sua reflexão faz sentido. Isso de obrigar vc ser sempre 10 em tudo é asfixiante.

    ResponderExcluir
  2. Olá Dayane, tudo bom? Primeiramente, gostaria de te avisar que te indiquei pro meme 11 coisas + 11 perguntas, o qual você fala sobre 11 curiosidades suas e responde a 11 perguntas minhas. Caso se interesse em respondê-lo, ficaria super feliz em ver suas respostas neste meme ^-^. Voltando ao assunto do post...

    Anda passando por uma fase meio assim. Pessoas chamam de tensão do cursinho, eu simplesmente chamo de "melancolia". Não considero tristeza um defeito, mas acredito que a maioria da sociedade sim... Quem está feliz, com tudo na vida nos conformes não enxerga, ou não compreende, a razão de algumas pessoas não estarem tão "realizadas" com o ato de viver. Como se o indivíduo triste se tornasse um pontinho preto embaçando a felicidade alheia. Também sou cristã, mas não considero o suicídio um pecado irreparável, afinal de contas, o que será que passa na cabeça da pessoa na hora do ato? O Deus que creio, é misericordioso e sábio o suficiente pra perdoar, uma alma conturbada por esse mundo complexo que não pode ser acolhida a tempo. Pode parecer clichê condenar novamente "esse tal sistema", mas ele anda adicionando tantos requisitos pra que uma suposta felicidade inalcançável, que muitas vezes nos esquecemos de que pra alcançar a verdadeira felicidade é preciso tirar os chinelos, sentar no sol e mandar um verdadeiro foda-se pra tais requisitos. Beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. Estive pensando e realmente as pessoas levam consigo o logotipo "ser feliz sempre". Acho isso escroto, vivemos num mundo tão "merda" e ainda tem gente que consegue achar motivos aplausíveis pra viver (talvez até tenha mas está instinto).
    O ato de se matar é complicado, pois eu NUNCA tive coragem pra isso.

    Prefiro mostrar minha infelicidade que é verdadeira do que a minha falsa felicidade.

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito de seu estilo de escrita e de seu jeito. Vc possue sangue nas veias.

    ResponderExcluir
  5. Vc tem sangue nas veias mesmo. Gosto de seu estilo e de suas reflexoes...

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!