Páginas

sábado, 30 de julho de 2011

Exposições a vista!Uhu!


Como disse a vocês, meus queridíssimo leitores amados (que eu amo mesmo!), meu tempo de desenhar está muito escasso! Até levei uns papéis e umas canetas para o trabalho, a fim de fazer uns rabiscos nas horas livres, mas essas horas não existem!rsrs. Portanto,não terei desenhos novos durante um tempinho =(!
Apesar de adorar o lugar onde trabalho (obrigado Deus!), devo confessar que me faz muita falta as conversas sobre arte, ter com quem compartilhar informações sobre exposições, sobre processo criativo, sobre educação. Várias vezes eu comento super empolgada sobre alguma exposição nova e ouço um sonoro “que?”,rs. As exposições que mais quero ir são a deLouise Bourgeois, no Instituo Tomie Ohtake (que fica do lado do trabalho, mas que nunca tenho tempo de ir!) e a de Andy Warhol, no SESC Pinheiros (também pertinho).
Louise Bourgeois é um grande nome da Arte Contemporânea. Suas obras são influenciadas por um trauma que ela teve na infância. Traz sempre aspectos do universos feminino,mas não de uma forma delicada, mas agressiva e dolorosa. Ela foi reconhecida como artista aos 70 anos! Morreu o ano passado, uma pena. Há uma obra dela no MAM (Museu de Arte Moderna) no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Tenho que ver esta exposição! As obras tem uma pulsão de vida e morte que ao mesmo tempo que perturbam, excitam!
Louise


Notam o quanto esta mulher é pequena perante este homem?


Esta obra está no MAM, Parque do Ibirapuera, SP.


Já Andy Warhol é um artista mais popular (e era isso mesmo que ele queria). Ele foi o precursor da Pop Art. Mesmo quem não o conhece de nome, certamente já viu algum de seus trabalhos. O que ele fez? Bem, ele simplesmente fez uma enorme crítica ao consumismo americano e a como tudo nos dias de hoje se tornou banal, descartável e substituível.Há uma obra dele que expressa bem isso: fotografia de uma cadeira elétrica. Essa fotografia é reproduzida inúmeras vezes com uma máquina Xerox, nos mostrando o quanto a morte é vista de uma forma fria, o quanto um fato trágico é tratado com tamanha banalidade nessa nossa sociedade do espetáculo, que deixa de ser algo relevante para se tornar algo cotidiano.




Cadeira elétrica


 Se for para escolher a um desses artistas como favorito, escolheria sem dúvida a Louise. A obra de Warhol se tornou tão popular que aconteceu exatamente o que ele criticava: perdeu um pouco de seu sentido artístico para se tornar algo mais estético. Hoje é muito comum vermos pessoas fazendo seus próprios retratos em formato pop art apenas pelas cores ou pela moda, e não pelo protesto. Acho isso triste.Warhol com certeza, não acharia, pois além de artista, era também um publicitário. Certa vez perguntaram a ele o que o impulsionava a criar e ele respondeu que era o que ele mais amava: o dinheiro.

6 comentários:

  1. Você tem uma grande afinidade com essa arte e já o demonstrou. Não perca as oportunidades que surgirem para ver os trabalhos de quem admira. E São Paulo possui uma grande parte deles.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Me chamou a atencao a sinceridade de Warhol, só por isso ele me conquistou :)

    Seu blog é cultura!

    ResponderExcluir
  3. Andy Warhol me incomoda, pois tantas vezes me mostrou como sou mais um idiota como todos os outros num mundo massificado.

    Amo muito tudo isso.

    ResponderExcluir
  4. Bourgeois me ofende e me agride, me engole.

    Não sabia dessa exposição, Sampa ganha com isso.

    ResponderExcluir
  5. Sempre quando passo o olho no link do seu blog me pego lendo: "pédacostela" é automático! kkk

    Adorei as informações!
    beijo!

    ResponderExcluir
  6. Já foi ver a louise? eu fui ver semana passada hehe, ta muito legal a exposição, o trabalho dela é muito bom.
    o ruim pra mim é chegar na faria lima hahaha, mas arrumei um tempo.

    bom,saudades de vc moça.
    bjs!

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!