Páginas

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A arte anda comendo o meu cérebro. Não a arte em si, mas todas essas discussões que fazem-se a cerca dela. Eu amo arte, muito, de mais, mas poxa vida... As pessoas esquecem que há outros setores da vida.
Me cansa muito esse endeusamento que ainda fazem quando fala-se sobre arte, como se ela fosse a única responsável por mudança nas pessoas e no mundo, como se “só a arte salva!”.
Claro que a arte é uma forma de voz e expressão, mas não só ela. Penso até mesmo se o que quero é trabalhar com arte a vida toda.
O mal das pessoas que lidam com a arte é que muitas acabam se alienando achando que estão saindo fora da alienação, quando na verdade não estão. Vejo discursos prontos, revoltas na ponta da língua e sonhos quase idênticos. Sem contar na vestimenta e nos cortes de cabelo dos “novos artistas” ou estudantes de arte. Todos iguais pensando que são diferentes. E obviamente, estou incluída nisso.
Detesto pseudo-revolucionários de faculdades de elite. Acho o cúmulo do absurdo essas meninas que pagam não sei quanto por uma bota velha e ficam caçando brechós para se denominarem “cults”. Se bem que estou sendo muito chata.pois isso acontece em várias áreas, toda área tem seu estereótipo e pessoas que se moldam a ele. Eu mesma estou junta e misturada nisso.
E claro que não estou falando de todos! Mas falta um pouco de senso crítico em pessoas que pensam estar cheias dele.
Agora, chega de reclamar e bora ler os textos dobre arte.

4 comentários:

  1. Day, minha querida, me enoja (é, você não leu errado. ENOJA) essa galera pseudo-intelectual, que vaga pelas elucubrações, palavras difíceis, conceitos que nem eles mesmos entendem (mas não podem explicar para não "matar o conceito sagrado da arte contemporânea e bibibi, bibibi, bibibi..."). Quando você diz que eles crêem se desvencilhar da alienação, quando somente se submergem mais nela, me fez lembrar a frase do Jerome Reuter (Rome): "Você admira os leões. Você despreza todos os cordeiros. Mas seguir os leões faz de você nada além de m cordeiro." - Fato.

    Mas não surte pelos outros.

    Beijo na testa e abraço com rodopio. =)

    ResponderExcluir
  2. Pois, como disse, você encontrará essas pessoas em qualquer canto que se encontre.

    pessoas que assim são, somente são mais uma parte do gado feliz.

    e creia, todos temos nosso quinhão nesta tigela, mesmo quando desgostamos do paladar desse mingau.

    A auto-vigilância é necessária para não estarmos descritos nós mesmos neste post num momento ou noutro, pq isso faz parte da fatia mais descolorida de todos nós.

    ResponderExcluir
  3. A arte acaba sendo o resultado de uma ideologia / forma de pensar / vida, até ai penso que surja a confusão, ela é produto da "vida", mas a própria vida acaba seguindo vários caminhos que nem sempre são paralelos e chegam ao mesmo destino, pois a vida nunca pode se enclausurada...

    Fique com Deus, menina Dayane.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Que bom seu texto! Sabia que vc não era uma dessas pessoas: "O mal das pessoas que lidam com a arte é que muitas acabam se alienando achando que estão saindo fora da alienação, quando na verdade não estão".

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!