Páginas

sábado, 21 de novembro de 2009

Cada um tem um monstro particular dentro de si. O de alguns é a agressividade,o de outros,a inveja,o de outros,o medo,etc. O meu é a angústia Ela mora dentro de mim desde que me conheço por gente e muitas das vezes,fiquei sem saber quem na verdade dominava quem :Ela a mim,ou eu a ela. Na maior parte do tempo,ela me dominou,e me fez afundar em lugares escuros dos quais eu acreditava ser a única realidade existente.


Com o tempo,essa angústia que me dominava começou a pesar de mais...Quase me afundando ,me orpimindo,me DEprimindo...Foi quando comecei a buscar um pouco de luz,de ar,de paz...E notei que o lado de fora é tão necessário quanto o de dentro.

Contudo,essencialmente (mas agora mais brandamanete) sou uma pessoa “pesada” .Não posso viver sem essa angústia,pois ela é uma peça chave do meu modo de ser.Na maioria das vezes,é ela que me impulsiona a criar,a questionar,a repensar,e quase sempre,a escrever,que é uma das coisas que mais amo fazer.Comecei então e tentar mesclar essa densidade com uma pitada de esperança,ternura,amor...E assim fui me refazendo,não sendo nem lá,nem cá:Nem tão leve a ponto de flutuar na superfície,nem tão pesada,a ponto de afundar no oceano.

Porém,a essência sempre grita...E tem épocas que essa angústia mais negra tenta me tomar outra vez.Essa angústia que me faz temer o futuro,me faz ver todos os problemas com uma lente de aumento,que faz eu ver em mim mesma todos os defeitos possíveis em um ser humano,que faz eu sentir que não importa o que eu faça,nada dará certo...Mas já aprendi a lidar com ela de uma forma mais madura e sensata,aceitando-a como parte de mim e por isso mesmo,dando-lhe a atenção que merece,não me deixando sucumbir por seus apelos.Acho que aos poucos,estou aprendendo a “domar” esse monstro,e não deixando que ele me domine,como muitas vezes já deixei.Sei que seus urros assustam,mas são apenas urros,não tem o poder de ditar nada sobre a minha vida.Claro,a não ser que eu me deixe levar por eles...Coisa que aprendi a não fazer,

E você?Qual seu monstro particular?

19 comentários:

  1. Texto bonito (mesmo de algo meio conturbado na tua vida)...

    O meu monstro seria o rancor...

    Mas para evitar que ele cresça demais, escolhi o predador natural dele, a bondade...

    E vou me cuidar sim (vi o teu recado no meu blog), mas cuide-se, ok?

    Fique com Deus, menina Dayane.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. ... há tantos cá dentro, moça. muitos nem sei o nome. ando a descobrir entre um passo e outro, entre um encontro e outro.

    hoje fiquei por cá. a conhecer.

    um beijo

    ResponderExcluir
  3. "Seja pedra ou seja areia. Ambos afundam na água." - Old Boy.

    Eu sou o monstro. E não existe uma divisão.

    Mas a vida não precisa ser levada como a corda bamba. O monstro às vezes se mostra horrível ao mundo porque é a única forma de se mostrar acolhedor a mim. É paradoxal, mas sentimentalmente verdadeiro.

    Aproveite o que há de bom. O monstro, uma hora ou outra, chegará. Mas você não precisa viver em função do dia de sua chegada, concorda?

    Beijão, Day. Tem crônica fervilhando na minha cabeça, quererei suas palavras por lá, hein...

    ResponderExcluir
  4. Vixe! Se eu tivesse só um monstro particular eu tava bem... ahahah

    Eu tenho alguns:

    Preguiça - Se eu não fosse uma pessoa muito determinada, minha vida tinha ficado parada, porque sou muito preguiçosa pra quase tudo... Isso me incomoda profundamente.

    Crise existencial - Tenho duas por semana e nunca sei muito bem o que fazer com elas, acho que por isso que mantenho o blog, pra colocar essas doideiras pra fora!

    Vontade de morrer - Me persegue o tempo todo e eu tenho que estar sempre distraindo minha mente e inventando objetivos pra amenizar esse tendência horrível...

    Bem, só esses três monstros já me dão um trabalho... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Pense como o ser humano é um ser incrivel... As vezes eu paro e penso nas Inumeras Teorias que crio sobre nós !
    A Angústia de fato é algo pertubador, porém de onde ela vem ? Da conciência, e é ai que esta a maquinha maldita da qual vem a materia prima da destruição.

    Contudo, veja bem, somos (teoricamente) os unicos seres nesse mundo da qual tem a conciência de morte é unanime que um dia chegaremos lá (como ja diz o poeta) mas nem por isso deixamos de lutar, a vida é a luta e não a vitória...
    O problema é que muita gente se preocupa unicamente com o futuro, o problema é que futuro é futuro, ele é como a sombra, incalcançavel ! Temos que olhar para o presente, que esta aqui do nosso lado.

    Eu ja passei por muita coisa nesta vida, tristezas, sofrimentos e sobretudo felicidades... e não me amarguro de nada que passou, meu tempo me constroi, meu momento me molda e meu futuro me guia... apenas me guia... ele não determina nada !

    O futuro não existe...

    Bom, quanto aos meus monstros, sou um, zoológico bizarro ambulante...
    O problema é que os meus monstros tem o periodo fertil muito variável, e o momento do CIO é muito critico... hehehe

    Mas o que mais me assombra é o meu mosntro de duas cabeça... uma cabeça se chama nostalgia, e a outra nunca mais...

    Mesmo assim eu gosto delas, pior é quando nenhum dos mosntros aparecem...

    Ja passei uma epoca sem sentir nada... não sentia medo, não sentia felicidade não sentia tristeza... não sentia nada...
    A Ausênsia de um mosntro é a pior de todas !

    Bom Young Red Lady !
    : )
    Adorei o Post ^^

    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Meu monstro é o medo. Às vezes ele tira meu sono e paralisa minha vida, a ponto de eu deixar o tempo passar e não fazer nada.

    E quando você fala que a angústia te ajuda a escrever, entendo bem como é isso. Já percebi que nos dias em que estou triste ou vazia, surgem boas idéias - e então meu 'monstro' me faz temer que num momento feliz da vida, todas elas possam sumir.

    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Tb tenho o monstro da angústia.Da desolação,do niilisimo,do suicídio(penso em me matar qse td semana,tem uns bons anos aí...).Combato eles com meus sonhos,com poesias,com músicas.Exumo-os,para afrontá-los.E tento ser bom,para compesar td q há de negro em mim.bj

    ResponderExcluir
  8. Luta contra esse monstro moça,não deixa ele tomar conta de vc! Vc que tem o dom das palavras pode soprar esse seu monstro pra longe!Pelo menos é o que eu desejo do fundo do meu coração!As suas palavras são lindas,o seu blog é lindo,doce,eu adoro vir aqui!No fim o que sabemos é que "O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem." Beijooo!

    ResponderExcluir
  9. Somos feitos de vários sentimentos, o que temos de fazer na verdade é saber dosá-los.
    Não podemos ser muuuito de um e pouco de outros.
    Temos de saber conviver com eles na medida certa =]

    ResponderExcluir
  10. Que bom que gostastes do layout flor (: fico feliz.

    O teu blog tbm sempr tao querido e gostoso de ler o/

    O meu monstrengo interior seria a sinceridade extrema, machuca mais q pedra jogada ao longe. \:
    tento medir as palavras que penso . tento pensar antes de falar mas nem sempre e algo que da certo.

    Bjos enormes :*

    ResponderExcluir
  11. Ah, aquele lado cáustico e obscuro que sempre está por ali me rondando, me espreitando; e sempre que pode me toma de assalto...hmmm... eu bem sei como é. Ele sabe o que eu fiz no verão passado...

    Ele se apresenta de algumas estampas diferentes, mas eu tenho certo temor da vaidade. hmmm... Sempre me destaquei em tudo que fiz, conquistei quase todos meus objetivos importantes antes dos 30 e que a maioria quando consegue é depois dos 50, passei a vida toda tomando banho na cachoeira do elogio recebido. Ah, como é dificil se desenrredar do bicho-vaidade. Normalmente consigo, mas sei que ele sempre está me fitando nem tão ao longe.

    Mas ele se apresenta com outra faceta, a da indiferença. Tenho fases de indiferença perturbadora. E garanto que fico chato, quase insuportável. então retomo minha essência ariana que a tudo exige intensidade e paixão e pronto despenco de um extremo ao outro... rs. Eu sou assim, o côncavo e convexo, ardendo e gelado, envolvido e indiferente, compenetrado e patético, Santa Maria e Babalon, isso é Ôbèron.

    E sim, seria bacana ir até ti. Vamos ver isso sim. : )

    ResponderExcluir
  12. "Nem tão leve a ponto de flutuar na superfície,nem tão pesada,a ponto de afundar no oceano." ---- Que bonito!

    Eu me impressionei mesmo com o controle que diz ter sobre teu monstro, de como conseguie conviver com ele.

    Gosto da maneira como encarou o problema, alguns nós resolvemos, outros, convivemos. Ninguém é totalmente bom ou mau. Yin e yang.

    Eu tenho meus mostros particulares, vez por outra eu os solto, só para mim ou para uns poucos. Não sou um santo, nem um capeta. Como diz alguém que eu nem sei que é: como se contentar em ser um só diante dos tantos que eu posso ser?

    Uma ótima semana pra ti.
    E sim, muito obrigado pelas doces palavras, as vi hoje e já fizeram o meu dia mais feliz!
    Beijos!
    =]

    ResponderExcluir
  13. eu queria que fosse algum do sthpen king

    ResponderExcluir
  14. Acredito que eu tenha alguns monstros bem terroristas...mas também acredito que todos possam ser exterminados, ou pelo menos equilibrados...

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Muito bom!! Como é legal ver alguém que tenta se enxergar, cutucar seus sentimentos, se encontrar... Auto-conhecimento é de suma importância e nesse mundo de tantos julgamentos é difícil vc expor seus tesouros mais íntimos (seus sentimentos) dessa forma. É preciso coragem para se auto-conhecer, e mais coragem ainda para dizer o que sente. Eu faço um trabalho voluntário que lida muito com isso, e em contrapartida nos obriga a esse mergulho que vc vêm fazendo tão bem... Gostei muito do seu blog e espero, sinceramente, que as pessoas que por aqui passem entendam o quão importante é esse megulho para dentro de si... E quanto ao meu monstro particular, acho que é o medo... O medo me acomoda, me faz ficar no lugar confortável, mas isso é uma outra história!!

    ResponderExcluir
  16. Todos nós temos um monstro particular, mas nem todos sabem assumir isso. Adorei o teu texto!
    Acho que o meu é o medo... medo de não conseguir realizar algo que almejo muito.

    =*

    ResponderExcluir
  17. Todo nós temos um monstro dentro da gente, mas nem todos conseguem assumir isso. O meu monstro é o medo, acho. O medo de não conseguir realizar algo importante que almejo.

    adorei seu texto, ficou ótimo =*

    ResponderExcluir
  18. Meus maiores monstros são o orgulho e a inveja (no estado de animo que vivo frequentemente, parece que vão me matar), mas de fato, o principal inimigo sou eu mesmo (nem digo no todo, é mais o Superego que qualquer outra coisa), pq eu crio problemas, e preciso dos outros pra resolver (e quem falou que eu quero ajuda? Mas está estampado na minha cara, eu apenas viro-a para ninguém ver, por puro orgulho)
    BjS

    ResponderExcluir
  19. Quando algo que nos prejudica não vai embora agente aprende a viver e sugar ela não é? tbm vivo algo semelhante mas eu quero essa angustica longe de mim e tenho que aprende a render de outra forma pq como vc falou tem hora que não dá p viver sem. e aí que está a minha guerra. vamos ver quem persiste mais.

    beijosssssssssssssss. Amei mais que trufa

    ResponderExcluir

Olá queridos!
Seu comentário é bem vindo!Pode criticar, elogiar, desabafar, indicar referências, sinta-se a vontade!
Comentários na intenção de ofender serão ignorados!