Páginas

domingo, 12 de outubro de 2008



A voz de um mundo ecoa dentro de um universo perdido.O tempo é um semblante mal desenhado em meio aos papéis que estão deixados de lado.O medo se reflete em cada caco de espelho e a vida solta um novo suspiro em cada momento,lutando em cada momento,morrendo em cada momento...
Mas de que forma pode-se representar algo assim,tão inerente a qualquer ser vivo,que é sua luta constante por algo que não valoriza até que perde: a paz?
E qual a paz que é verdadeira?de onde ela surge,até onde existe e quem é sua dona?
Quem sabe qual paz é que prevalece:A do bem coletivo que reprime a felicidade singular ,ou aquela singular,mas que ameaça o equilíbrio do bem coletivo?

20 comentários:

  1. "a vida solta um novo suspiro em cada momento,lutando em cada momento,morrendo em cada momento..."

    É muito estranho pensar que a vida morre a cada momento!

    ;)

    ResponderExcluir
  2. Tem razão, linda! A putas hipócritas, a não hipócritas, as certinhas, todas tem direito de serem o que quiserem, assim como eu tenho direito de dizer de quem eu gosto e de quem eu não gosto!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Conceitos relativos não devem ser transformados em verdades absolutas. Ambos os conceitos de felicidade, seja a misantropa ou a que regozija no bem coletivo [felicidade comunista? - rsrsrs] possuem seus pontos positivos e negativos. "Des-relativizá-las" seria transformá-las em anátemas, e, além de improdutivo e perigoso, tiraria toda a graça de viver a vida [ou morrer a vida, mas ela está aí, não importa sob qual ponto de vista... =)].

    Gosto de como transita no universo das palavras. Valeu pela visita ao Krippendorf & Satriani.

    PS: Gostos musicais bem próximos... acho que deu para perceber... rsrsrs... também A-DO-RO Sigur Rós, e não veja a hora de conseguir o novo deles, apesar de críticas negativas que ouvi.

    PS II: Sim, eu estou postando de fora do blogspot, por isso, não linka...

    PS III: Gostei da análise do "O quarto é seu - I". No "O quarto é seu - II", logo abaixo, tem a interpretação política dele, caso lhe interesse.

    Küßen... já teclei demais, e já tomei muito espaço aqui... rsrsrssr

    Até o próximo post... e sem pesadelos, please....

    ResponderExcluir
  4. Acabei sendo obrigado a me logar, logo despreze o PS II [até porque o Playstation III já está no mercado...]

    Küßen.
    Bis bald.

    ResponderExcluir
  5. Boa pergunta! A paz poderia reinar, mas...
    Bjoooooooooo!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Paz? É uma utopia. Não existe paz sem existir união, sem existir solidariedade, sem existir amor ao próximo, sem existir estender a mão.
    Beijos!
    :))

    ResponderExcluir
  7. Acho que o equilíbrio coletivo sempre é bem vindo! =)

    beijão flor

    SAUDADES EIM DONA MOÇA

    ResponderExcluir
  8. Boa pergunta. Mas é mais uma daquelas para as quais ainda não encontrei resposta...
    Talvez o ideal seja o equilíbrio entre ambas. Mas, honestamente, não sei se isso existe, se é mesmo possível...
    De qq forma, entendo pouco de paz. Ela raramente vem estar comigo. Costumo estar no turbilhão , ainda que aparente certa calma...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Se focarmos um pouco a visão, podemos ver a formação de um Estado "Policial", na qual a "paz da população" é mais importante que a paz pessoal (alguém falou V de Vingança?!, hua, kkk, ha, ha)...

    Mas isso é apenas uma interpretação.

    Cada ser humano tem uma "paz única", então não adianta se focar num conceito apenas de "paz universal", pois para uns, um estilo de vida (e paz que isso traz) pode servir como paraíso, já para outros, um rascunho do "inferno"...

    Retribuindo a visita.

    Fica com Deus menina.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Descobrir a paz, é descobrir a própria vida...

    ResponderExcluir
  11. Sei lá... a PAZ faz parte da Guerra e Vice-versa... um é contra o outro!

    viajei!

    Belo texto!

    ResponderExcluir
  12. Será q algum dia teremos nossos questionamentos respondidos?

    Estava com saudade daqui... beijo lindona...!!

    ResponderExcluir
  13. Intenso.A gravura tá aqui ecoando na minha mente,junto com seus questionamentos.

    Belo gosto musical.

    ResponderExcluir
  14. Eu acredito no utilitarismo, embora não acredite que possamos viver nele, sempre há um que queira ser maior.

    "Paz, eu quewro Paz..."

    ResponderExcluir
  15. Nunca soube de fato o que é "TEMPO".
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Profundo
    tenho até medo de saber as origens das palavrasbjs

    ResponderExcluir
  17. "E qual a paz que é verdadeira?de onde ela surge,até onde existe e quem é sua dona?"

    A paz não tem Dona, não tem destino...A paz não surge e tambem não desaparece, e ela existe ate onde podemos acreditar nela.... Achar a paz?, não a achamos... a chamamos, e ela vem ate nos.

    Otimo Texto moça.... profundo....
    ^^... :]

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade