Páginas

domingo, 20 de abril de 2008



Era sempre assim:Sua cabeça confusa agia de acordo com o que achava ser o mais certo a se fazer,nunca com o que considerava correto de verdade.E quem sofria por isso?O coração,claro.A mente pensava,o corpo agia,mas era o coração que sentia.Logo ele, que sempre foi o mais sincero,o mais puro e o mais sensato.Logo ele,que sempre tentou consolar,unir,apaziguar.Logo ele,que sempre deu bons conselhos,que sempre ouviu com atenção,que sempre foi a fonte de todo amor.Era logo ele que sofria as conseqüências das torpezas de uma mente que por achar que muito sabia,acabava por não saber de nada.
Mas também não ficava por isso mesmo,a cabeça também tinha que sofrer as conseqüências dos seus atos.Uma dor fina e pontiaguda começava do nada e qualquer barulho tornava-se insuportável.Com a dor vinham as náuseas,com as náuseas a tontura e com a tontura os desmaios.Era o coração dizendo “Calma,pra que a pressa?As coisas são assim mesmo,deixa a poeira baixar,deixa o tempo passar.Faça apenas a sua parte.Apenas plante,a colheita virá depois!” e a cabeça respondendo “Não,eu tenho que fazer alguma coisa!As coisas não podem ficar assim!Olha:tanta gente já conseguiu,tanta gente na minha frente,tanta gente sabe mais do que eu,tanta gente agindo dessa forma e ta dando certo!Porque que comigo não é igual?”.Sempre assim :a mente sempre eu,eu,eu! E o coração ressoava como uma voz amiga.Parecia até que essas duas vozes não faziam parte da mesma pessoa.E quem padeceu nessa história toda?Obviamente,o dono dessas duas vozes,dessas duas forças.O corpo já não funcionava direito e os dias tornaram-se insuportavelmente vagarosos.O tempo parecia não passar,o cansaço foi tomando conta...Até que ele pifou.O corpo,claro.Nessa altura a mente já havia conseguido o que queria que era acabar com aquilo que nem tinha começado.A única voz que continuou ali,mesmo que baixinha,mesmo que sem força,foi a do coração que vendo o estado de seu dono dizia “Que é isso!Isso é só uma fase ruim,vai passar!depois você vai rir de tudo isso e você sabe que eu sempre tenho razão.Aliás,está mais do eu na hora de me dar o valor que mereço,hein?”.
No fim,o que sobrou foi um corpo estafado,uma mente silenciosa e uma voizinha baixa.Mas foi essa voizinha que pouco a pouco foi trazendo de volta a vida ao corpo e que perdoou a mente.
Nossa cabeça pode destruir em segundos algo que nosso coração levará anos para construir,mas tudo o que é construído com o coração torna-se firme,forte e indestrutível e a mente não vendo outra saída,rende-se a esta fortaleza e passa a trabalhar a seu favor.
(sem fim definido).

4 comentários:

  1. "Não se afobe, não
    Que nada é pra já
    O amor não tem pressa
    Ele pode esperar em silêncio
    Num fundo de armário
    Na posta-restante
    Milênios, milênios
    No ar..."

    No fim o coração tem sempre razão. Apesar das insistências do cérebro.
    e Haja corpo pruma vida tão complicada!

    ResponderExcluir
  2. Coração mesmo sofrendo todas as dores que a nossa mente causa a ele, se renova e sempre volta mas forte que antes, e acreditando cada vez mas que pode dar certo...algum dia... mesmo tudo sendo incerto, mesmo tudo parecendo tão longe, ele não para de acreditar, que no final tudo vai da certo...tudo.
    Coração sabe esperar.

    ^^

    ResponderExcluir
  3. é lindo "sem fim definido". parece´com tanta coisa que vivemos. parabéns!

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade