Páginas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Não escondo minhas falhas,meus enganos,meus erros grotescos.Minha atitude imatura de querer sempre ser perfeita em tudo,minha necessidade de ser aceita,de não gerar comentários maldosos,de querer sempre chamar a atenção de alguma forma,antes que esqueçam que eu existo ou achem que mesmo eu existindo,não tenho tanta importância assim.
Não fico por aí falando que não caio em contradição,que não sou uma filha comum querendo dar uma de ovelha negra.
Só não consigo entender o porque de tantas tempestades nesse copinho d’água que são meus 18 anos.Não fiz muita coisa,não experimentei quase nada,não tive grandes tristezas e tampouco grandes alegrias.Foi tudo uma linha linear e insosa,onde meu único caminho seria agradecer a Deus por ter tido família,casa,comida,escola,igreja,boas companhias e muitas vizinhas para brincar no portão da minha casa.Nunca fiquei gravemente doente e nem passei por nenhum grande trauma.Enfim,uma vida comum,uma vida feliz.
Mas enquanto meus vizinhos brincavam na rua,eu ficava em casa desenhando com giz no chão.Enquanto as meninas falavam do primeiro beijo,eu estava tendo minhas primeiras angústias .Enquanto minha família era uma benção,eu sentia que algo entre mim e eles simplesmente não me deixava aceitar eu ser como era.Não que eu fosse anormal,não que eu tenha fugido das normais fases citadas por Freud,eu só me sentia diferente.Diferente das panelinhas da escola,nas quais nunca me encaixei.Era sempre era a menina do canto.Nunca fui a popular e nem nunca quis ser.Também nunca fui a problemática,e nem nunca quis ser.Nunca fui a mais feia,tampouco a mais bonita.Vai ver que é por isso que hoje sou tão extremista,porque acho que pra ser alguém normal,tem-se que ser alguma coisa.
Mas e essa sensação de estar sempre no lugar errado,de onde vem?Será que é coisa de signo?Será que Freud explica?Talvez seja o signo mesmo.A vaidade e o egocentrismo do leão,que tudo idealiza e nada o satisfaz.Ou a simples indaptação natural de peixes,que está sempre fora do ar,parece até de outro mundo.Talvez seja o temperamento do melancólico,ou o jeito do infj,quem sabe está na bíblia,quem sabe é normal em mim.quem sabe eu precise de mais terapia,ou quem sabe seja tudo frescura.Quem sabe eu só precise amadurecer.Quem sabe minha maturidade tenha me feito estar sempre um pouco a frente.Ou um pouco atrás.Ou eu nem saiba o que maturidade significa.Talvez eu já esteja passando pela crise dos 20 e poucos.Ou talvez isso seja apenas mais um reflexo da minha adolescência tardia.Ou precoce.

Um comentário:

  1. "Mas e essa sensação de estar sempre no lugar errado"
    Da certeza de que nosso lugar é errado, mesmo que passemos os olhos de relance e para isso.
    Todas as dúvidas ,estas aflições, a angústia toda vem de ser autêntico, pelo menos desejar sê-lo.
    Sei que sou apenas um desconhecido, mas te garanto que essa perpeção confusa eu conheço. Até o tempo está confuso, e tudo cai na normalidade forçada do mundo.
    Vc tem razão em se questionar, e está certa.

    ResponderExcluir

Sinta-se á vontade